Hoje se fala muito de e-commerce no mundo dos negócios. E não é para menos: estamos falando de uma forma de vendas que tem o poder de alavancar empreendedores que já possuem lojas físicas como aqueles que querem apostar apenas em novas tecnologias.

Se você é comerciante e não sabe o que é e-commerce ou tem um conhecimento superficial sobre isso, esse artigo foi feito para você. Nós vamos explicar o seu conceito e ainda como você pode se utilizar dele para ter uma loja de sucessos.

Vamos lá!

Conceituando E-commerce

Vamos começar entendendo o seu significado: e-commerce é a palavra utilizada para designar comércio eletrônico. Basicamente, todos os aspectos que envolvem o contato com o cliente, como exposição de produtos, atendimento, orçamentos e pagamentos são feitos online.

Atualmente é possível ver como esta forma de negócio está sendo empregada em todos os ramos do comércio. Estando confortavelmente no sofá de casa, uma pessoa pode comprar desde livros, roupas, eletrodomésticos, e até a comida que irá jantar naquele dia.

E também não há fronteiras: é possível comprar online de uma loja física que há na sua cidade como de um site chinês.

Com laptops, tablets e celulares nas mãos, as pessoas têm o poder de fazer praticamente tudo sem sair de casa. E é por isso que você precisa conhecer este conceito e adaptar seu empreendimento para esta nova sociedade.

E-commerce: Tipologia

O e-commerce pode ser basicamente dividido em três tipos:

  • B2C (Business to Consumer)

Este primeiro tipo pode ser caracterizado como aquela relação comercial tradicional em que temos uma loja vendendo para um cliente final. Como exemplos nós temos os mercados, as lojas de roupas, farmácias e também prestadores de serviço como restaurantes, agências de turismo, barbearias, etc.

  • B2B (Business to Business)

Aqui nós temos uma relação comercial entre duas pessoas jurídicas, em que não há contato com o consumidor final. Neste caso, nós temos as lojas de indústrias, lojas de atacado, dentre outras.

  • C2C (Consumer to Consumer)

O terceiro e último tipo é uma forma comercial relativamente nova. Com o advento da internet e redes sociais, as pessoas físicas também começaram a vender entre si através de um intermediador. Para exemplificar, podemos falar do Mercado Livre e a OLX.

E-commerce não é e-business!

Às vezes vistos como sinônimos, na verdade são operações diferentes. Se o e-commerce consiste na compra e venda pela internet, o e-business é uma forma de parceria empresarial online entre duas pessoas jurídicas que atuam no mesmo ramo ou mesmo de áreas complementares.  Não confunda!

Posso implantar um e-commerce no meu negócio?

Sim! Se pensarmos na utilização de lojas virtuais atualmente, chegamos a conclusão que ele é possível de ser empregado em vários nichos comerciais. E fazer isto é possível seguindo alguns passos que vamos explicar agora.

4 passos para ter um e-commerce

1º Passo: Qual plataforma utilizar?

A primeira etapa é escolher em qual plataforma você criará o seu e-commerce. É necessário dar muita atenção a este aspecto porque é nela em que todo o seu empreendimento funcionará, tendo o mesmo papel que um espaço físico de uma loja qualquer.

Primeiramente, pense em que tipo de ferramentas precisará para conseguir fazer o seu negócio funcionar: abas especiais para cada categoria de produto, visualizadores de imagem com recurso de zoom – muito útil para lojas de roupas e acessórios-, uma FAQ, um painel de atendimento online, dentre outros.

Veja também: Estratégias de gestão financeira e controle de contas.

Uma vez com estas informações em mãos, é hora de buscar empresas que desenvolvem este tipo de plataforma para vendas. Diga o que você precisa e não deixe nenhuma dúvida passar sem ser respondida.

Outro aspecto que deve estar inserido no projeto do site é desenvolvê-lo já pensando em uma eventual expansão no futuro. É normal pensarmos em começar aos poucos, utilizando algo mais simples.

Porém, na medida em que a sua loja vai crescendo, esta plataforma não dará mais conta e você terá que fazer o mesmo trabalho outra vez.

Por isso, fique atento com as suas escolhas, pois uma vez que optou por uma plataforma migrar para outra será um processo desgastante. Poupe tempo e dinheiro!

2º passo: Formas de pagamento

Para quem vende ou compra em e-commerce os meios de pagamento são um assunto essencial. Quem vende quer receber e quem paga não quer ter problemas com a forma de pagamento.

Como este aspecto é um dos critérios utilizados para escolher onde comprar,é interessante que você possa oferecer diversas opções de pagamentos  para o cliente. Atualmente, as mais utilizadas são:

  • Cartão de crédito;
  • Paypal e semelhantes;
  • Boleto bancário;
  • Débito online e
  • Link de pagamento.

3º passo: Fazendo as entregas

A entrega de mercadorias deve ser algo decidido muito antes de uma compra ser realizada. O comerciante precisa deixar claro para o seu cliente a forma como isto acontecerá, o prazo e se ele precisará pagar o frete.

O ideal é que você tenha mais de uma opção de entrega, como via Correios ou transportadora. Como ambos possuem prazos e valores diferentes, você pode deixar que o cliente escolha a opção que mais lhe convém.

4º passo: Marketing e publicidade

A internet é um ótimo lugar para fazer vendas. Porém, vale lembrar que existem milhares de e-commerces por aí e que você precisa ser visto como um diferencial neste nicho.

Uma dica é que além do site onde o empreendimento funcionará, é necessário criar perfis comerciais em redes sociais e aplicativos como Whatsapp, Facebook e Instagram.

Primeiro porque os seus clientes provavelmente utilizam uma destas ferramentas no dia-a-dia, o que facilita seu contato com ele.

Além disso, sabendo do seu potencial de marketing, Facebook e Instagram disponibilizam recursos para que os comerciantes possam promover o seu negócio. Outra ferramenta são os links patrocinados.

Desta forma, as redes sociais são um ótimo lugar para ser visto e conquistar clientes.

Conclusão

Esperamos que você tenha gostado desta publicação sobre e-commerce. Utilize as informações que descobriu para utilizá-lo em seu empreendimento. Com a força que as vendas online possuem hoje, não dá para ficar de fora. Sucesso!

Artigos que você pode se interessar