Se você quer destacar ainda mais o seu negócio, agora é a hora. Isso porque, vender no Google passou a ser gratuito. 

Por conta da crise gerada pela pandemia do Coronavírus, a Guia “Shopping” da gigante de tecnologia passará a exibir listagens gratuitas, visando justamente impulsionar o comércio eletrônico.

Até então, para aparecer nessas listas que eram mostradas em determinadas buscas dos usuários, o empreendedor precisava pagar por anúncios. Contudo, agora eles não são mais necessários justamente para ajudar os comerciantes afetados pela crise. 

A medida já está valendo nos Estados Unidos. E até o final do ano todos os países que utilizam o serviço devem já ter a possibilidade de anunciar.

A migração do varejo para o e-commerce 

A quarentena estabelecida em várias partes do Brasil e do mundo afetou diretamente o comércio varejista. Com as lojas fechadas, os comerciantes tiveram que pensar em outras alternativas para atender os clientes e conseguir manter os negócios. 

E por conta disso, houve uma migração em massa para o e-commerce. Tanto por parte dos empreendedores, como dos próprios consumidores. 

Isso porque, as pessoas também passaram a comprar mais pela internet, uma vez que os comércios físicos estão fechados e é mais seguro esse tipo de compra. 

Esse processo de se reinventar está sendo crucial para muitos empreendedores. 

Importante ressaltar que o fato de agora ser possível vender no Google de forma gratuita, também é uma questão mercadológica. Não é de hoje que a gigante vinha perdendo espaço para concorrentes como a Amazon. 

Afinal de contas, nesses espaços os comerciantes não precisavam obrigatoriamente anunciar para vender. É simples, se o empreendedor pode anunciar de forma gratuita, por que ele iria ter interesse no buscador?

Foi assim que, depois de 8 anos da sua criação, o Google Shopping passou a ser gratuito. 

Como será o processo para vender no Google?

Antes de qualquer coisa, é necessário esclarecer alguns pontos sobre a dinâmica do Google em relação a produtos e anúncios. 

Ao vender no Google Shopping, você não passará a aparecer no topo da página, naquela região geralmente em verde, que mostram vários detalhes, como valores e imagens. 

Essa é uma parte das páginas do Google que continuará sendo exclusiva dos anúncios pagos. Ou seja, você terá que comprar uma palavra-chave relacionada ao produto ou fazer uma campanha para aparecer nesse local. 

O que realmente vai mudar é que agora os comerciantes podem aparecer de forma gratuita na aba “Compras” ou “Shopping” da SERP. E dentro dessa página também irá funcionar a dinâmica de anunciantes. 

Ou seja, basicamente, se você fizer um anúncio com determinadas palavras-chaves, os seus resultados irão aparecer por primeiro. Quem não paga também será listado nos resultados, mas sempre depois dos anúncios pagos. 

A grande diferença na dinâmica dessa plataforma é justamente que os produtos não anunciados poderão ser listados. Com isso, o pequeno e médio empreendedor também poderá ter os benefícios de alcance que o maior buscador da web oferece. 

Até o momento o Google não divulgou nenhum tipo de comunicado sobre os produtos serão priorizados. Ou seja, não sabemos qual será a ordem. Mas, ao que tudo indica, a gigante da tecnologia deve usar o modelo padrão de algoritmos que já está em funcionamento.

Isso quer dizer que os empreendedores que quiserem se destacar, precisarão fazer um bom trabalho de SEO e investir na qualidade dos anúncios. 

Como anunciar produtos no Google 

Para vender no Google Shopping você terá que utilizar a Merchant Center. Essa é a plataforma de anúncios oficial, e é onde você pdoe cadastrar os produtos que serão comercializados, bem como criar os anúncios pagos.

No caso dos empreendedores que já anunciam na plataforma, os produtos serão inseridos automaticamente  no programa caso sejam elegíveis. Se você nunca anunciou através dessa solução, terá que fazer um cadastro rápido para só então incluir os seus produtos. 

Uma das novidades que vem junto da mudança é uma atualização no painel inicial da ferramenta. Ele passará a exibir informações e passos importantes para os novos empreendedores que estão chegando. 

Além disso, a gigante de tecnologia também fechou uma parceria com o sistema de pagamentos PayPal. A partir de agora, todos os vendedores que usam a ferramenta poderão vincular as contas. 

Dessa maneira, é possível agilizar as operações. Lembrando, que o Google ainda tem parcerias com várias outras ferramentas, justamente para facilitar o trabalho dos comerciantes, entre elas estão Shopify, WooCommerce e BigCommerce.

Se você nunca usou essa ferramenta, abaixo separamos um breve tutorial para te ajudar:

  • Crie uma conta no Google Merchant Center

A primeira coisa que você precisa fazer é criar uma conta no Google Merchant Center. O Ideal é usar a conta de Gmail que você já utiliza, como uma forma de centralizar informações.

Posteriormente, se você quiser passar a anunciar na plataforma e também em outros formatos de anúncios pagos, você também poderá usar a mesma conta para facilitar o processo. 

  • Configuração de e-commerce 

A segunda etapa que você precisa fazer é configurar o seu e-commerce a conta. Dessa maneira, o Google poderá ter certeza que você é proprietário do endereço eletrônico que está anunciando os produtos. 

Isso também será válido para o caso dos empreendedores que posteriormente quiserem usar o Google Adwords para promover os seus produtos. O processo é bem simples, você só precisará inserir um pequeno código no seu site, ou usar uma das outras alternativas de verificação. 

A própria plataforma indica esse passo a passo, já que ele é bem simples e pode ser feito em poucos minutos. 

  • Configuração de envio, impostos e frete

Depois, você precisará configurar todo o processo de envio, frete e pagamento de impostos. A etapa também é relativamente simples, pois a plataforma Google Merchant Center possui um layout bem fácil de ser usado. 

Todas essas configurações podem ser feitas através do menu lateral.

Fonte da imagem: Webolto

  • Feed de produtos 

Assim que você finalizar esses passos, já poderá criar o seu feed de produtos. Você pode acrescentar fotos ao seu catálogo, bem como colocar uma descrição em cada produto. 

Importante: o Google pode levar até 72 horas para aprovar ou reprovar o produto inscrito. Além disso, antes de começar o processo de cadastramento, o ideal é sempre dar uma boa lida nos termos e condições de uso da plataforma. 

Nesse documento você poderá verificar todos os produtos que estão liberados para comercialização, e quais são barrados. Dessa maneira, você evita ter dores de cabeça por conta de detalhes. 

Importante ressaltar que, como a novidade é recente, podem ocorrer mudanças no processo de cadastro de produtos no Google Shopping.

Mas, a plataforma já anunciou que também irá atualizar o seu layout para que os novos empreendedores consigam ingressar sem dificuldades. 

Dicas para vender no Google e ter sucesso em suas vendas 

O fato dos comerciantes agora conseguirem vender no Google sem pagar nada abre várias oportunidades em meio a crise. 

Mas, se você realmente quiser encarar o e-commerce como uma alternativa para se reinventar, e até mesmo continuar usando essa opção após a crise, nós separamos algumas dicas que podem te ajudar:

  • Invista em um sistema que já possua integrações prontas 

Se você deseja anunciar em diferentes plataformas de vendas, mas mantendo as informações centralizadas, o ideal é investir em um sistema integrado. Dessa maneira, você poderá ter toda a sua operação, incluindo do PDV, em um único lugar. 

Assim, depois que a crise passar, será mais fácil lidar e gerenciar com as diversas operações. Tanto com as digitais como a física. 

  • Tenha uma boa estratégia de SEO para ranquear no Google

É preciso levar em consideração que a plataforma de vendas do Google também utiliza o sistema de algoritmos do buscados, o mesmo que é usado no AdSense e nas buscas. Logo, é importante investir em uma boa estratégia SEO para otimizar as suas vendas. 

Por meio dela, você poderá melhorar o seu ranqueamento dentro da plataforma. E dessa forma, seus produtos poderão alcançar colocações mais altas nas listagens. 

Por isso desenvolva estratégias de otimização que te ajudem, nesse sentido. 

  • Atenção à logística e prazos de entrega

Um dos maiores desafios para empreendedores que estão migrando para o e-commerce é se adaptar a logística desse tipo de negócio. A verdade é que a grande maioria está acostumada com a dinâmica das vendas apenas no ponto físico. 

Mas na web, existem várias outras etapas que precisam ser consideradas, como a separação do produto, embalagem e despache. Ter um maior controle de estoque também é fundamental nesse sentido. 

Afinal de contas, uma das piores coisas que pode acontecer é você fazer a venda e depois descobrir que não tem mais unidades em estoque. Por conta disso, é importante investir em um bom sistema que te ajude a controlar cada uma dessas etapas. 

Desde a emissão da etiqueta que vai ser colada na embalagem, até inventários para maior controle sobre os produtos vendidos. 

Gostou do post sobre como vender no Google? Ficou com alguma dúvida? Comente abaixo!