Quando se fala em modelo de nota fiscal, muitos empreendedores ficam na dúvida sobre os Tipos de Notas Fiscais existentes hoje em dia.

E você, sabe quais são os principais tipos de notas fiscais que sua empresa precisa gerar? Qual a diferença entre elas?

A verdade é que existem vários tipos de documentos fiscais. E cada um deles apresenta uma função especifica.

Entender a diferença entre eles é importante, seja qual for o porte ou segmento de mercado da sua empresa. Afinal de contas, não há nada pior do que acabar não emitindo algum desses documentos, e ainda ter problemas com a receita federal.

E não é isso que você, empreendedor deseja, certo?!

Portanto, continue lendo esse post para entender melhor sobre nota fiscal neste artigo.

Conheça o Emissor de NFe da Lexos e emita Nota Fiscal em sua empresa sem dor de cabeça!

O que é nota fiscal?

A nota fiscal nada mais é do que um documento que deve ser emitido em qualquer venda. Independentemente do tipo ou valor.

Basicamente, ele tem como objetivo registrar todas as informações sobre a transação. Desde o valor dela, até que itens que foram vendidos. Ela serve como comprovação de transações, e pode ser usada para o pagamento de tributos por parte dos empreendedores.

Muita gente não sabe, mas nota fiscal de saída pode ser substituída por outra. Geralmente isso acontece quando um produto é devolvido ou uma compra cancelada.

Existem vários tipos de notas fiscais, tanto físicas como digitais. É importante que o empreendedor conheça cada uma delas, para não acabar fazendo confusão.

Tipos de notas fiscais

Confira abaixo quais são os tipos de notas fiscais, e as características de cada uma delas:

Nota Fiscal Eletrônica (NF-e)

A Nota Fiscal Eletrônica, também conhecida como NF-e, foi criada visando substituir as notas fiscais de modelo 1 e 1A. Esse documento fiscal está diretamente relacionado a dois impostos.

O ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que basicamente é o imposto cobrado pela circulação de mercadorias entre estados, e do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).

Outro detalhe importante, é que essa nota tem como documento auxiliar, o DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica).

O principal objetivo desse item é que registrar as operações de circulação de produtos. Assim, os órgãos competentes conseguem fiscalizar tudo e fazer o recolhimento de impostos.

Para que uma NF-e tenha validade, além de ter uma assinatura digital, bem como a autorização da Secretaria de Estado da Fazenda.

O mais interessante desse tipo de documento é que não é necessário armazenar ele fisicamente, e ainda é possível reduzir os gastos com papel e impressão.

Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e)

Esse documento é muito parecido com o anterior. Contudo, ele foi criado para quem presta serviços.

Ele substituiu a antiga Declaração de Serviço. Esse tipo de nota fiscal tem relação direta com o ISS (Imposto sobre Serviços). Um dos principais objetivos dela é registrar todas as operações de serviço.

Por conta disso, ela é amplamente utilizada por pessoas que vendem pela web, principalmente quem comercializa, cursos online, consultorias, webinars e outros serviços digitais.

Mas, ela também pode ser usada para registrar serviços físicos, como revisões e consertos.

Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica (NFC-e)

Mais um dos tipos de notas fiscais que todo empreendedor precisa conhecer é a Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica, também conhecida como NFC-e. O grande diferencial desse tipo de registro é que ele só é emitido quando a venda é feita diretamente para o consumidor final, que precisa ser uma pessoa física.

Através dela, o Governo consegue fiscalizar as transações. Mas além disso, o próprio empreendedor pode ter mais controle.

Isso porque, ela mostra uma série de informações, desde a data e a hora da compra, até as condições de pagamento. Isso pode ser muito útil para relatórios do estabelecimento.

Esse é um exemplo de nota fiscal que não é necessariamente focada na tributação, mas, no controle geral de transações de venda.

Contudo, ela ainda não é uma realidade em todos os Estados Brasileiros. Quer saber mais sobre o assunto? Então confira também o artigo “Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica: saiba como está a adesão em vários Estados

Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e)

Mais um dos tipos de notas fiscais eletrônicas é a de Conhecimento de Transporte Eletrônico. Ela é bem especifica quem realiza a prestação de serviço de transporte de cargas.

Esse documento tem como principal objetivo a fiscalização. E ele é útil tanto para os órgãos fiscalizadores, como para as transportadoras.

A emissão desse documento fiscal é obrigatória. Caso o empreendedor não faça ele, além de pagar multa, ele pode ter seus produtos apreendidos.

Isso porque, é esse item que comprova a legalidade das mercadorias que estão sendo transportadas. Essa é uma exigência prevista por Lei.

Se você não emitir esse documento, corre o risco das mercadorias serem vistas como contrabando. E isso vai gerar muita dor de cabeça.

Manifesto de Documentos Fiscais Eletrônicos (MDF-e)

Por fim, mais um dos tipos de notas fiscais é o Manifesto de Documentos Fiscais Eletrônicos (MDF-e). O principal objetivo dele é integrar dados sobre uma operação.

Ele reúne todas as informações sobre atividades com um nível maior de complexidade. Com isso, a Receita Federal consegue fazer um trabalho de fiscalização mais eficaz.

Ele resume todas as informações sobre a operação de transporte e também centraliza todos os documentos dos produtos que estão sendo transportados.

Qual a diferença entre nota fiscal e cupom fiscal?

Saber qual a diferença nota fiscal e cupom fiscal é muito importante para qualquer empreendedor. Muita gente acaba confundindo esses dois documentos, por conta da nomenclatura.

Contudo, eles são totalmente distintos. E agora vamos falar um pouco sobre eles.

A nota fiscal só pode ser emitida através de um sistema emissor, que geralmente é integrado a um programa de gestão. Nesse documento devem constar todos os dados da operação comercial. Desde o nome da empresa, até o valor, tributos que estão sendo cobrados em cima, informações do cliente entre outras.

Dentro dessa categoria de documento fiscal, existem vários outros, como a NFe e a NFCe.

Já o cupom fiscal não precisa ser emitido por um sistema oficial, mas, sim, pelo ECF (Emissor de Cupom Fiscal). Nele também são infirmadas todas as informações sobre a operação, como o tipo de produto comercializado, forma de pagamento, dados da empresa.

Mas então qual a diferença dos dois documentos fiscais?

De forma simples, a diferença está nos tipos e quantidade de informações que estão em cada um. No caso da nota fiscal, por exemplo, o cliente é identificado (coisa que não acontece no cupom fiscal).

Por conta disso que é a nota fiscal que tem validade em processos de trocas. É através desse documento que a empresa consegue evitar fraudes, uma vez que o cliente está identificado.

Além disso, o repasse de pagamento de nota para um terceiro só é possível com a adoção da nota fiscal.

Além disso, outra diferença ente esses dois documentos é que a nota fiscal precisa de um sistema especifico, que é integrado com o programa de gestão da empresa. Já o cupom fiscal precisa de um equipamento especifico, o ECF (impressora fiscal).

É importante ressaltar, também, que a transmissão dos dados da nota fiscal é feita diretamente para a Sefaz. Logo, se houver devolução do produto ou cancelamento da compra, é necessário retransmitir tudo para o órgão, de modo que não haja uma cobrança indevida de impostos, ou até mesmo o registro de um faturamento que não é real.

Como emitir todos os tipos de notas fiscais através do software da Lexos

São muitos tipos de notas fiscais que o empreendedor precisa lidar. Dependendo do tipo de empreendimento, é possível que todas as citadas acima tenham que ser emitidas. E isso pode gerar muita confusão, se você não tiver controle sobre a tarefa.

É muito comum que os empreendedores enviem notas duplicadas, ou esqueçam de mandar algum dos documentos fiscais, justamente por conta da quantidade excessiva.

Por conta disso, o ideal é que você conte com um software de gestão onde tudo isso possa ser centralizado. E o programa da Lexos é uma excelente alternativa.

CLIQUE AQUI – FAÇA O TESTE GRÁTIS DO SISTEMA LEXOS 

NF-e

Com ele você conseguirá emitir todos os tipos de notas fiscais com facilidade, e sem correr o risco de acabar errando algum dado. Isso porque, ele funciona de forma integrada com vários módulos.

Logo, se você efetuar uma venda, automaticamente os dados serão transmitidos e as notas geradas. Isso acaba reduzindo o índice de erros de transmissão, bem como de retrabalho.

Além disso, toda a parte de controle e armazenamento se torna mais fácil. Você pode organizar os documentos por categorias, e até mesmo gerar relatórios a partir deles para verificar o desempenho do seu negócio. Isso irá otimizar o dia a dia do seu negócio.

Agora que você já sabe quais são os Tipos de Notas Fiscais, bem como a importância de cada uma e como é possível emitir todas com mais facilidade, não deixe de entrar em contato com a Lexos. Através do software de gestão Lexos, você poderá emitir todos esses documentos fiscais com mais facilidade.

Artigos que você pode se interessar