O regime de caixa e regime de competência são dois métodos de registros financeiros muito utilizados no controle financeiro das empresas. Apesar de terem dinâmicas e objetivos diferentes, muita gente acaba não sabendo a diferença entre esses termos.

E acredite, esse tipo de erro pode ser extremamente prejudicial para sua gestão. Como cada metodologia trata das contas de forma diferente, você pode atrapalhar o seu fluxo de caixa. E acabar tendo até mesmo problemas tributários.

Para saber diferenciar o que é regime de caixa e regime de competência, continue lendo esse post e descubra:

  • A diferença entre esses dois termos;
  • Quando utilizar o regime de caixa e competência;
  • Como esses regimes funcionam na prática;
  • Dicas para não errar no regime de caixa e regime de competência.

Confira!!!

Diferença entre regime de competência e regime de caixa

Para que você consiga fazer um controle contábil e financeiro eficaz do seu negócio, nós vamos esclarecer qual a diferença entre regime de caixa e de competência, bem como de que maneira utilizar cada metodologia dentro do seu negócio. Confira abaixo.

Regime de Competência

A primeira diferença de entre ambas as metodologias é que o regime de competência é considerado pelos princípios contábeis, bem como pela legislação brasileira, a metodologia oficial para fins de Imposto de Renda. Inclusive, as médias e grandes empresas precisam fazê-lo obrigatoriamente.

Ele funciona de maneira simples, basicamente, as contas (receitas e despesas) são registradas no momento que as transações ocorrem. Ou seja, se você vendeu um produto, a receita será registrada no dia da venda. E não quando o valor realmente entrar no caixa da empresa.

Basicamente, esse método visa facilitar a observação da situação financeira do empreendimento.

Para lhe ajudar a entender, vamos usar um exemplo prático de despesa e um de receita. Por exemplo, se você comprou matéria-prima para a sua empresa. E acertou com o fornecedor que o pagamento será feito em duas parcelas (uma em 30 dias e outra em 60). As despesas serão contabilizadas no momento que a transação ocorreu, mesmo que o dinheiro só vá sair do caixa posteriormente.

O mesmo é válido para a receita. Digamos que você tenha vendido determinado produto para um terceiro, e também acertou o pagamento em duas parcelas. A receita será contabilizada no dia da transação, independentemente se o valor do produto só irá entrar posteriormente.

Fazendo a gestão financeira da sua empresa através do regime de competência, você saberá se sua operação está rentável ou não a cada mês, pois saberá que sua receita está maior que as despesas.

Regime de caixa

O regime de caixa, por sua vez, é uma espécie de acompanhamento para o dia a dia. Isso porque, as contas serão registradas não quando a transação ocorrer, mas, quando ela for contabilizada no caixa.

Ou seja, se você fez uma venda hoje, mas para pagamento em duas parcelas, o valor da receita só será contabilizado quando cada uma das parcelas forem pagas e o dinheiro entrar no caixa.

O mesmo é válido para a despesa. Se você comprou matéria prima no dia 30 de março, por exemplo, mas para pagar em 30 de abril, a despesa não será contabilizada no dia 30 de março, mas no dia 30 de abril.

Quando utilizar o regime de caixa e competência?

Essa é uma dúvida frequente entre os empreendedores. Afinal, quando usar o regime de caixa e regime de competência. Bom, no caso das médias e grandes empresas, o regime de competência é obrigatório, pois ele é o método oficial para fins de Imposto de Renda desse tipo de empresa.

Se você quer realizar a medir os resultados do seu negócio em diferentes períodos, ele também é o mais indicado. Com ele, você consegue avaliar uma série de fatores, incluindo a lucratividade da empresa em diferentes períodos.

Já o regime de caixa é ideal para um acompanhamento diário para saber qual a saúde financeira do seu negócio. Isso porque, ele acompanha o fluxo de caixa. Então, você saberá exatamente qual os valores que estão entrando ou saindo.

De modo geral, é recomendado que você utilize o regime de competência e caixa em conjunto, independentemente do porte da sua empresa. Ambas as metodologias irão te ajudar a ter mais controle sobre seu negócio e cuidar da saúde financeira dele.

Como esses regimes funcionam na prática?

 Agora que você já sabe qual a diferença do regime de caixa e regime de competência deve estar se perguntando como eles funcionam na prática, dentro do dia a dia de uma empresa. Para facilitar a compreensão vamos usar alguns exemplos práticos.

Vamos supor que a sua empresa fez um compra de maquinários no valor de R$ 5 mil, no mês de março. Durante a negociação ficou acertado que você pagaria metade em 30 dias (em abril) e o restante em 60 dia (maio).

No caso do regime de competência, esses R$ 5 mil reais serão contabilizados em março, que foi quando a transação foi feita. Tenha em mente que você ainda não pagou nada e nada saiu do caixa, mas, nesse método a despesa já é contabilizada.

Já no regime de caixa, essa conta não será contabilizada em março, pois, efetivamente nada saíra do caixa. Os lançamentos de despesas só irão ocorrer quando ela for debitada do seu caixa, ou seja R$ 2.500 em abril  e R$ 2.500 em maio.

O ideal é que você sempre use os dois métodos de registro. Até mesmo para que você consiga visualizar o seu negócio de maneira mais eficaz. Um irá te ajudar a acompanhar as contas por período, e o outro te auxiliará a saber a saúde financeira diária e real do seu empreendimento e principalmente para saber o quanto irá precisar de capital de giro para manter sua empresa saudável.

Dicas para não errar no regime de caixa e regime de competência

Para que você consiga fazer o regime de caixa e regime de competência sem erro, você precisa ter alguns cuidados simples:

  • Não confunda as datas de contabilização: No regime de competência é sempre quando a conta ocorre e no de caixa é quando o valor realmente entra ou sai do caixa da empresa.
  • Utilize softwares de gestão: A contabilização feita de forma manual pode gerar erros, pois, é possível que você digite um valor errado. O ideal é que você use softwares de gestão para que os valores sejam contabilizados de forma automática, segundo a dinâmica de cada método.
  • Sempre conte com o auxílio de um contador: Ele te ajudará a controlar todos esses registros sem fazer confusão.

O regime de caixa e regime de competência são importantes para qualquer negócio. Agora que você sabe como usá-los, ficará mais fácil administrar o seu empreendimento.

Artigos que você pode se interessar