A correta precificação de produtos e serviços é, sem dúvida, um diferencial competitivo. Preços elevados ou baixos demais transmitem uma informação errada aos clientes, afastando-os do estabelecimento. Por essa razão, é indispensável precificar adequadamente.

Para tal fim, devemos considerar fatores como média cobrada pelo mercado, percepção de valor dos clientes e, até mesmo, margem de lucro desejada. Também é importante que o gestor tenha um exímio controle dos seus custos, avaliando-os antes de definir o preço final.

Pensando em tudo isso, criamos um guia especial que vai ajudar você a conhecer 5 dicas indispensáveis para acertar na precificação de produtos e serviços da sua empresa. Confira agora mesmo!

1. Considere as empresas concorrentes

Para se ter uma ideia dos valores que já são praticados no mercado, precisamos monitorar a concorrência. Selecione três ou quatro empresas que você considera referencial, e que possuem uma proposta similar à sua, e, em seguida, busque aprender com elas.

O levantamento dos preços nem sempre é uma tarefa fácil, especialmente em segmentos mais competitivos, então é preciso ter uma estratégia sólida. É possível fazer o monitoramento dos preços por meio de redes sociais, jornais, revistas ou, ainda, contar com a tática de cliente oculto.

2. Avalie os custos diretos e indiretos

Todo produto ou serviço possui seus custos de produção e/ou comercialização, e precisamos considerá-los na hora da precificação. Deixar isso em segundo plano pode ser muito arriscado, mitigando a margem de lucro e fazendo com que a empresa tenha prejuízos financeiros.

O custo direto é aquele claramente relacionado à venda ou à produção, como a comissão dos vendedores ou o uso de insumos específicos. Os custos indiretos são aqueles que não estão propriamente envolvidos, mas também são necessários, tais como conta de energia, água, aluguel e pagamento da área administrativa. Para esse controle, é relevante contar com um bom sistema de gestão.

3. Defina a margem de lucro desejada

Para sobreviver no mercado, a verdade é que toda empresa precisa ser lucrativa, caso contrário, não faz sentido mantê-la por muito tempo. Então, é fundamental pensar na margem de lucro desejada, e adaptar o preço final a ela, garantindo rentabilidade nas operações.

Para otimizar essa margem de lucro, é possível optar por três estratégias: reduzir os custos já definidos, aumentar o preço do produto/serviço ou otimizar a produção — gerando uma economia em escala. A estratégia ideal varia de acordo com cada empresa e seu público-alvo.

4. Pesquise a percepção de valor do cliente

Imagine uma obra de arte. Os custos de produção — tinta óleo, pincéis, quadro etc. — não necessariamente são altos, mas a obra final pode ter um valor multimilionário. Nesse sentido, estamos falando da percepção do cliente, que não pode ser medida com um simples cálculo.

Por essa razão, é preciso ouvir o público-alvo, entender sua percepção de valor sobre o produto ou serviço que disponibiliza. A missão é cobrar o máximo que os clientes estão dispostos a pagar, mantendo-os satisfeitos e felizes com o seu negócio.

5. Use fórmulas específicas para precificação de produtos

Há algumas fórmulas específicas que auxiliam na precificação de produtos ou serviços, como o cálculo do Markup. Nele, são consideradas questões como: despesas fixas, variáveis e percentual de lucro desejado. No final dessa equação, é possível obter um fator multiplicador, que facilitará a precificação de todo o mix de produtos/serviços existentes.

Veja, agora você está por dentro do assunto! O preço é um dos compostos básicos de um negócio, essencial para o sucesso e para a longevidade de qualquer companhia. A precificação correta potencializa vendas, retém clientes e gera mais lucro para o estabelecimento, tornando-o competitivo.

Gostou do nosso post? Está pronto para fazer a correta precificação de produtos ou serviços? Aproveite, assine nossa newsletter e receba mais conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail!

Artigos que você pode se interessar