De acordo com IBGE, o Brasil tem 13,5 milhões de pessoas desempregadas no país. Obviamente, isso não é uma surpresa, afinal, há quase 2 anos que estamos passando por uma crise que tem prejudicado diversos setores da economia.

Porém, estar nessa situação não significa que as oportunidades estão perdidas. Bem pelo contrário: algumas alternativas têm se mostrado soluções interessantes. Para aqueles que estão em busca de negócios para investir ou mesmo para os que pretendem mudar de área, existem alguns setores que estão em alta e prometem continuar crescendo nos próximos anos.

Pensando nisso, nós separamos 5 opções para você apostar. Confira!

1. Barbearia

Não é nenhuma novidade que os homens estão cada vez mais preocupados com a sua aparência. Claro que isso está refletido no mercado. Segundo dados da ABF (Associação Brasileira de Franchising), o segmento de beleza teve um faturamento de R$ 7 bilhões apenas no segundo trimestre de 2017, 9,4% a mais do que o arrecadado pelo setor no mesmo período de 2016.

Assim, não é à toa que estabelecimentos especializados em estética masculina têm crescido no país. É o caso das barbearias, que possuem cada vez mais procura e por isso são uma ótima oportunidade de negócio. A maioria desses empreendimentos, apesar de manterem uma decoração que remete os anos 1940 e 1960, investe em renovação do seu atendimento.

Além de cuidar das barbas e cabelos dos clientes, eles também fornecem outros serviços, como jogos, bar, venda de roupas, estúdio de tatuagem e até alimentação. O objetivo é criar uma atmosfera em que os homens possam se divertir e ao mesmo tempo cuidar de si mesmos.

O resultado dessa mudança pode ser visto pelos números: de acordo com a Euromonitor International — responsável por monitorar o setor de beleza em 80 países —, o mercado de cuidados pessoais voltados para o público masculino dobrou nos últimos cinco anos.

E ainda tem estimativa de crescer 7,1% até 2019, com grandes chances de ser o maior mercado dessa categoria com um possível faturamento de 6,7 bilhões.

2. Alimentação

É óbvio que o ramo da alimentação nunca ficará em baixa, afinal, a comida é um item essencial para a sobrevivência humana. Mas é a alimentação fora de casa e os pedidos por delivery que devem manter o setor em alta. De fato sabemos que hoje em dia ter tempo para preparar a sua própria refeição é difícil. Para muitos, as únicas opções são comer fora ou comprar comida pronta.

Segundo a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes),  o segmento encerrou 2016 com um faturamento de quase R$ 190 bilhões. Tanto bares como restaurantes obtiveram um crescimento de 3,47%, mostrando-se uma excelente alternativa para quem está pensando em empreender.

3. Produtos saudáveis

Seja por meio de programas de TV ou por perfis especializados nas redes sociais, o interesse pela alimentação saudável está em alta. De acordo com dados do instituto de pesquisa Nielsen, no ano de 2015 houve um crescimento de 16% no ramo de comidas saudáveis na América Latina.

No Brasil, para se ter uma ideia, esse setor movimenta todo ano mais de US$ 30 bilhões. A venda desses produtos teve um crescimento de quase 100% nos últimos anos. Essa categoria promete continuar essa movimentação e deve ser uma boa escolha para investimento no futuro próximo.

Afinal, as pessoas estão se tornando mais conscientes de sua alimentação e querem melhorar a sua relação com aquilo que ingerem e sabem que as opções saudáveis favorecem a longevidade.

Além disso, a procura por produtos sem glúten, lactose, açúcar ou colesterol abriu um novo mercado. O fato de muitas pessoas possuírem restrições alimentares e não poderem consumir certos ingredientes é outro ponto para a escolha desses produtos.

Por isso, esse ramo só tende a crescer nós próximos anos. E projeção não diz respeito apenas à comercialização desses itens, valendo também para restaurantes especializados.

4. Aplicativos Móveis

Mais do que uma tendência, os aplicativos para dispositivos móveis são uma realidade e provavelmente não devem perder a sua relevância tão cedo. Isso, é claro, tem ligação direta com o aumento de smartphones. De acordo com a Fundação Getúlio Vargas, o número de aparelhos chegou a 168 milhões no Brasil.

Assim, com cada vez mais funções disponíveis ao usuário, investir em apps para esses aparelhos é uma excelente oportunidade de negócio. Afinal, as pessoas estão cientes da comodidade e praticidade que esse serviço traz — e esse pensamento se estende não só para jovens, mas também para idosos.

No caso específico dos aplicativos, eles não são produtos que custam muito para serem produzidos e como consequência disso tendem a ser mais baratos para o consumidor. Isso reflete a grande procura por eles.

Um exemplo são os softwares mobile para educação, que são bastante requisitados. Formas alternativas de transmitir conhecimento não são nenhuma novidade, mas no caso dos aplicativos móveis ainda há o atrativo de não ser necessário sair de casa para aprender.

5. Cosméticos

Outro ramo que se mantém forte nesses tempos de crise é o da beleza. Para se ter uma ideia, o setor está na 4ª posição dos mercados em crescimento no mundo. Ou seja, mesmo com a instabilidade econômica do país, essa modalidade continua forte.

O que se constata é que por mais que tenham diminuído a procura por salões de belezas, procura por cosméticos que permitem o cuidado do corpo em casa aumentou. Ainda assim, serviços como corte de cabelo, depilação e manicure continuam obtendo demanda nesse momento de recessão.

Como você pode perceber, mesmo com a economia desfavorável que o Brasil apresenta os últimos anos, ainda há setores que se mantêm fortes e que são bons negócios para investir. Portanto, busque se informar com profundidade sobre cada um deles e escolha aquele que mais se adéqua ao seu perfil e às suas condições. Assim, as chances de você ser bem-sucedido em sua empreitada só aumentam.

Quer ficar por dentro de mais conteúdos como este? Acompanhe-nos em nossas redes sociais! Estamos no Facebook, no Instagram, no Youtube e no LinkedIn!

Artigos que você pode se interessar