Todo o empreendedor que se preze precisa estar ligado no que está acontecendo em seu negócio e, sobretudo, acompanhar a qualidade de todo o processo de produção e buscar sempre o seu aprimoramento. Afinal, o mercado é cheio de novidades e é interessante que a sua empresa acompanhe estas renovações. Por isso, no post de hoje, resolvemos falar sobre as ferramentas de gestão de qualidade que podem ser úteis para a sua rotina administrativa.

Confira!

 

Principais ferramentas de gestão de qualidade

 

Ciclo PDCA

A primeira das ferramentas de gestão de qualidade é o Ciclo PDCA, que permite um acompanhamento completo dos processos de sua empresa. Isto porque a sua sigla significa:

  • Planejamento (do inglês Plan):

Crie e análise os objetivos e metas que o seu empreendimento possui agora, saiba quais são as estratégias que podem torná-los realidade;

  • Execução (do inglês, Do):

Outro elemento extremamente importante é o desenvolvimento do que foi proposto, algo que nem sempre é fácil começar, mas, uma vez em movimento, estimula o empreendedor a sair em frente. Para que o ciclo faça sentido, a parte de execução deve acontecer;

  • Verificação (do inglês check):

Este é o momento no qual as ferramentas de gestão de qualidade fazem todo o sentido no processo. Com os objetivos em execução, é necessário avaliar como isto está ocorrendo, verificando se todos estão seguindo o que foi planejado e se eventuais erros estão aparecendo neste processo. É essencial passar por este momento de avaliação e

  • Ação (acto):

Uma vez que você percebe algum erro no processo, é possível chamar os responsáveis e resolver esta situação a curto prazo, evitando assim que problemas sejam arrastados por muito tempo. Atenção, este ciclo e constante!

Veja também:

 

Diagrama de Pareto

Dentre as ferramentas de gestão de qualidade, o Digrama de Pareto se destaca por ser um recurso simples e objetivo para que o empreendedor consiga manter o foco e saber quais são os caminhos a serem tomados pela sua administração.

Com ele é possível listar quais são os problemas que a sua empresa enfrenta em um determinado momento e classificá-los segundo uma ordem de risco, começando pelo o que é mais urgente para as questões que podem ser tratadas posteriormente.

Além disso, o empreendedor pode tomar um problema em si e verificar com qual freqüência ele é um obstáculo para a sua gestão. Com esta informação, você pode pesquisar a sua origem (com o Diagrama de Ishikawa, por exemplo, a ser explicado no próximo tópico) e extirpar este mal pela raiz.

 

Diagrama de Ishikawa (ou ainda Diagrama de Causa e Efeito/ Diagrama de Espinha de Peixe)

Esta é uma das ferramentas de gestão de qualidade mais eficientes para descobrir a origem de problemas que aparecem em seus processos, possibilitando que você chegue até a sua raiz e consiga resolver o que está causando todo este desconforto.

Para aplicá-lo é muito simples: desenhe uma linha horizontal que represente o problema em questão a ser analisado. Depois, trace outras linhas verticais (como uma espécie de ramo) para indicar em cada uma delas o que acredita ter originado aquele problema. Ainda, adicione outras sublinhas nestes ramos para indicar a origem destes fatores de causalidade.

Ao colocar no papel estas ideias, o administrador está se esforçando para ter uma visão de longo prazo e conseguirá resolver, de forma eficiente, o problema que a sua empresa está enfrentando.

 

Análise de SWOT ou FOFA

Apesar de parecem estranhas siglas, elas são uma das ferramentas de gestão de qualidade mais interessantes que você pode dispor. De um modo geral, SWOT ou FOFA em português são abreviações de pontos que devem ser analisados em seus processos e que demonstrarão a potencialidade como os problemas que eles possuem.

Para sermos mais claros, FOFA pode ser discriminada como:

  • Forças

São os elementos que destacam a sua empresa no seu mercado de atuação. O que ela possui de diferencial frente aos seus concorrentes? Quais são as suas vantagens?

  • Fraquezas

Aqui se trata de identificar os pontos fracos de sua empresa: quais são as suas vulnerabilidades? Quais são os erros crassos que devem ser corrigidos urgentemente para não atrapalhar o funcionamento da empresa?

  • Oportunidades

Neste ponto é possível descobrir fatores que podem ser explorados para se tornarem forças no futuro de sua empresa e

  • Ameaças

Elas são os riscos que as empresas possuem ao redor de si e devem ser detectados. Por isso, é importante estar atento ao que pode impactar os rumos, como o mercado de atuação em si.

Ao mapear estes 4 pontos de atenção em seu negócio, você terá uma visão ampla e poderá traçar planos e estratégias mais lúcidos, sabendo quais são os seus limites e potencialidades.

 

Fluxuograma ( também conhecido como Workflow)

A última das ferramentas de gestão de qualidade é o fluxuograma que esmiúça a forma pela qual um processo é conduzido, seja narrando o papel dos homens na linha de frente da produção como também daqueles que estão por trás do comando.

Através destas ferramentas de gestão de qualidade o administrador consegue acompanhar todo o ciclo de produção, assim como de outros processos dentro da empresa e tem o controle de tudo o que se passa ao mesmo tempo.

Este fluxograma também é base para que se saiba onde é possível otimizar a sua empresa, o que naturalmente trará mais capital ele.

E agora, já sabe qual das ferramentas de gestão de qualidade é a cara de sua empresa?

Conclusão

 Esperamos que você tenha gostado do post e aprendido um pouco mais sobre as ferramentas de gestão de qualidade. Elas podem ser muito úteis para o seu negócio. Ffazendo com que você identifique eventuais erros e pontos negativos deste processo. E consiga tomar uma atitude precoce frente a eles, não deixando que atrapalhem o funcionamento da produção.

Como já dizia o ditado, é melhor prevenir do que remediar e no mundo dos negócios esta recomendação vale ouro. Avalie sua gestão e saiba como colocar o seu negócio no caminho do sucesso. Boa sorte!

Artigos que você pode se interessar