Para que um empreendimento dê certo o empresário precisa, sobretudo, ter controle total de seu funcionamento. E uma das principais fontes de informação são aquelas referentes a sua administração financeira. Afinal, mede-se o sucesso ou fracasso de um negócio através de sua rentabilidade. Um dos critérios de avaliação é saber o custo das mercadorias vendidas.

Nesse post, nós vamos te ensinar tudo sobre ele, o que com certeza vai ajudá-lo a ter uma melhor visão do que anda acontecendo com sua empresa e ajustá-la para um caminho de sucesso.

Continue lendo esse post e descubra:

  • O que é o custo das mercadorias vendidas
  • Por que entender sobre esse custo é importante;
  • Como calcular o custo das mercadorias vendidas;
  • E muito mais!

Confira!

Entendendo o custo das mercadorias vendidas

Podemos definir o custo das mercadorias vendidas como um indicador de gastos que considera todos os custos obtidos com a produção ou armazenamento de um produto, até que ele seja vendido.

Ainda confuso? Vamos para um exemplo prático: uma pessoa que possui um comércio de sorvetes vende, por mês, 5 mil reais em produtos. Isto quer dizer que ela colocou no bolso todo este valor? Não.

Ela precisa descontar todos os custos que ele teve até colocar o produto a venda, como o dinheiro gasto com a produção dos sorvetes e o armazenamento dos mesmos, para que o seu empreendimento funcione.

O que queremos evidenciar com este exemplo, é que para você encontre o seu lucro real, ou seja, para ter uma noção sobre quanto você gastou e quanto recebeu por um determinado produto, é preciso que do valor final da venda, você desconte o gasto que teve com a produção e armazenamento do item vendido.

Resumindo, todos estes gastos entram no cálculo do custo das mercadorias vendidas.

Por que você precisa entender sobre esse custo?

Saber o custo das mercadorias vendidas é de extrema importância para o empreendedor. Ele precisa ter na ponta do lápis essa informação, que precisa ser avaliada a todo momento, já que as vendas e os preços pagos por matérias-primas/ mercadorias variam conforme a demanda.

Além disso, saber que a venda de sorvetes rende 5 mil reais ao mês não quer dizer nada por si mesma.

Veja também: Como calcular a margem de lucro de um produto.

Se uma pessoa sabe que o custo das mercadorias vendidas é de 2 mil reais, ótimo, porque demonstra que ela está obtendo um lucro de 3 mil reais. Porém, se o CMV aponta gastos que somados dão em 6 mil reais, quer dizer que o empreendimento está indo mal e precisa de mudanças para não ir à falência.

Desta forma, saber o custo das mercadorias vendidas é a chave para se ter um negócio de sucesso.

Como calcular o custo das mercadorias vendidas?

Para chegar ao custo das mercadorias vendidas no seu negócio, você precisa calcular:

  • O valor que a empresa possui em mercadorias estocadas em um determinado momento. Podemos chamar esta informação de valor do estoque inicial (EI).
  • Depois, é preciso fazer as contas sobre as compras que foram realizadas naquele período. Aqui, o resultado é chamado de valor das compras realizadas (C).
  • Por fim, é necessário calcular o valor das mercadorias que ainda restam em um estoque depois de um período de vendas. Chamamos de valor do estoque no final (EF).

Com estas informações, você pode fazer uma simples conta de soma e expressão, que pode ser expressa como:

EI + C – EF = CMV

Após substituir as siglas pelos valores encontrados para cada informação, obtém o custo das mercadorias vendidas.

Então, você pode comparar a receita bruta (ou seja, o montante que arrecadou com as vendas de um produto) com o CMV, através de uma conta de subtração expressa em:

Receita bruta (RB) – CMV = Receita líquida (RL)

Vamos utilizar um exemplo com valores imaginários para que você aprenda como calcular na prática o rendimento da sua empresa.

Uma fábrica de sorvetes possui, inicialmente, um estoque de 100 sorvetes em seus freezers. Cada um deles vale 1 real, o que faz com que o seu estoque inicial (EI) seja de 100 reais.

Ao longo de um mês, algumas encomendas foram recebidas, trazendo a demanda de produção de mais 500 sorvetes. Assim, seu total de compras foi de 500 reais.

Estes 500 sorvetes foram comprados por clientes, assim como 50 que estavam no estoque inicial. Se cada sorvete custa 1 real, o faturamento em um mês foi de 550 reais em vendas.

Se inicialmente está pequena fábrica possuía 100 sorvetes no estoque e 50 foram vendidos no período, sobraram 50 sorvetes. Como cada um vale 1 real, temos como valor de estoque final 50 reais.

Para saber o custo das mercadorias vendidas aplicamos a seguinte equação:

CMV = EI + C – EF
CMV = 100 + 500 – 50
CMV = 550 reais.

Para saber a receita líquida, fazemos:

RL = RB – CMV
RL = 550 – 550
RL = 0

A partir desta conta descobrimos o prejuízo bruto que a fábrica teve neste período, não tendo nenhum lucro bruto.

Atenção! Em uma situação real, você também deve levar em conta o regime de apuração tributária em que o produto está inserido.

Controlando o seu estoque

Você também pode fazer o controle do seu CMV a partir de dois métodos:

  • PEPS (Primeiro que entra é o primeiro que sai): analisar o custo de uma mercadoria com base naquela mais antiga do estoque.
  • UEPS ( o último que entra é o primeiro que sai): aqui, o custo será calculado com base na mercadoria mais nova do estoque.

Esperamos que esse post tenha deixado clara a importância de se conhecer o valor de custo das mercadorias vendidas para saber se o seu empreendimento vai bem.

Aqui, você aprendeu diversas maneiras de calcular o CMV. Porém, vale destacar que se você quiser otimizar este processo, pode automatizá-lo por meio de um sistema de gestão. Assim, você tem informações em tempo real da lucratividade de sua empresa.

Veja também como precificar produtos e serviços clicando neste link.

Artigos que você pode se interessar