O fluxo de caixa operacional serve basicamente para manter o controle sobre as finanças de uma empresa. É através dele que uma empresa pode contabilizar de forma eficiente o capital de giro.

Isso significa que uma empresa se torna apta a contabilizar quanto dinheiro está entrando e saindo. Isso não depende somente de um segmento interno, mas o fluxo de caixa operacional é o principal responsável por isso.

Ou seja, através dos diversos modelos de fluxo de caixa operacional de uma empresa, podemos definir se uma empresa é lucrativa ou não. Um fluxo positivo indica que uma empresa ganha mais dinheiro do que gasta. Um fluxo negativo indica que essa empresa tem uma saída de capital muito maior do que uma entrada de capital.

Hoje, você vai entender melhor como o fluxo de caixa operacional funciona e como ele pode beneficiar a sua empresa, auxiliando na organização financeira.

Como funciona o fluxo de caixa operacional?

O fluxo de caixa operacional funciona de forma bastante simples. Ele vai indicar para você quanto dinheiro está entrando e saindo do seu caixa.

Ele é um processo que pode ser separado dos outros dentro das etapas de produção da empresa. Significa que o seu resultado não é prejudicado por outras operações dentro da empresa.

Na verdade, o que queremos dizer com isso é que o fluxo de caixa operacional não indica, necessariamente, que a sua empresa teve um deficit no caixa naquele mês.

Vamos dar um exemplo prático abaixo para que você possa compreender melhor.

Imagine que no mês de janeiro, a sua empresa tenha tido um fluxo de caixa operacional de R$100.000.

No entanto, desses cem mil reais, você optou por tirar a metade para pagar contas em atraso.

Se não houvesse um profissional qualificado para fazer o fluxo de caixa operacional, os resultados poderiam se misturar.

Desse modo, você entenderia que a sua empresa rendeu apenas R$50.000 no mês de janeiro, e não R$100.000.

Como o fluxo de caixa operacional pode ser feito?

Para que você possa realizar o fluxo de caixa operacional na sua empresa, basta seguir uma fórmula simples.

Ela é baseada em três itens:

  • Lucro antes de juros e impostos de renda – LAJIR;

  • Desvalorização;

  • Impostos LAJIR;

Mas como isso funciona na prática?

Basta montar uma fórmula simples. Para fins didáticos, vamos chamar os lucros LAJIR de X, a desvalorização de Y e os impostos de Z. A nossa fórmula ficaria assim:

X + Y – Z

Vamos imaginar uma situação hipotética para calcular o fluxo de caixa operacional da empresa.

Imagine que no ano de 2017, a sua empresa tenha gerado um lucro total de R$300.00. Imagine também que ela tenha desvalorizado em R$25.000. E por fim, que os impostos recolhidos pela Receita tenham sido de R$18.000.

Se colocarmos esses valores hipotéticos em nossa fórmula, chegaremos ao seguinte resultado:

R$300.000 + R$25.000 – R$18.000 = R$307.000

Ou seja, o fluxo de caixa operacional da sua empresa foi de R$307.000 no ano de 2017.

Claro que existem outros meios de chegar aos cálculos que indicam o movimento de caixa de uma empresa.

Porém, nenhum deles têm uma precisão tão alta quanto essa. Isso porque ele considera fatores que somados chegam o mais próximo possível da realidade da empresa.

É necessário que para que uma empresa mantenha sua organização em dia, adote um sistema de automação empresarial.

Isso vai ajudar principalmente a não misturar os dados sobre as finanças da empresa. O que é lucro, é lucro. O que é despesa, é despesa. As duas coisas precisam ser separadas. Mesmo que uma empresa tenha tido um lucro muito alto ao longo do ano, pode não ter a melhor gestão para cuidar das despesas. É aí que um software de automação pode ajudar durante o processo!

O que mais um fluxo de caixa operacional eficiente pode fazer pela empresa?

O fluxo de caixa operacional de uma empresa não indica apenas a movimentação atual. Projeções podem ser feitas, independente do período escolhido. Se uma empresa deseja fazer uma previsão para o próximo ano, ela é capaz de fazer.

Desse modo, o fluxo de caixa permite à empresa a saber quanto dinheiro entrará e quanto sairá, de acordo com as previsões realizadas.

A prática não somente vai mostrar em números o lucro da empresa. Ela também vai auxiliar seus gestores a tomarem decisões mais complicadas para o médio a longo prazo.

Além disso, um fluxo de caixa operacional bem feito pode auxiliar em outras informações, tais como:

  • Análise de sensibilidade;

  • Prejuízos;

  • Lucros;

  • Ponto de equilíbrio;

  • Tempo necessário para que a empresa comece a obter lucros;

Ou seja, os resultados indicados pela análise poderão informar para a empresa a real probabilidade de ela obter sucesso em suas operações.

É através dos dados obtidos que ela será capaz de avaliar se os investimentos trarão um ROI positivo para a empresa.

É normal que as empresas que têm tendências grandes de crescerem apresentem um fluxo de caixa operacional negativo nos primeiros tempos.

Isso é bem comum, por exemplo, com empresas que atuam no ramo da tecnologia. No entanto, os cálculos podem apontar mudanças drásticas para o futuro, indicando um balanço positivo para essas empresas.

No entanto, a empresa precisa ter alguns cuidados com. Quando ele apontar um valor muito diferente dos lucros líquidos, por exemplo, no caso de o lucro ser bem maior, pode acontecer de a empresa passar por instabilidades com seus proventos.

Se você gostou de saber mais sobre a importância do fluxo de caixa operacional, deixe o seu comentário abaixo! E não deixe de assinar nossa Newsletter para ficar atualizado com os nossos conteúdos!

Fontes:

http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/planilha-ajuda-a-fazer-fluxo-de-caixa-da-sua-empresa,adf8d53342603410VgnVCM100000b272010aRCRD

http://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/Anexos/0_fluxo-de-caixa.pdf

Artigos que você pode se interessar